A nogueira e a noz

A nogueira e a noz

A nogueira, Juglans regia L., é uma árvore de grande porte da família das juglandáceas, com folhas imparifolioladas e aromáticas e com flores masculinas dispostas em amentos simples e as femininas em inflorescencias terminais paucifloras.

Com a maturação, o mesocarpo castanho-esverdeado e carnudo do fruto (uma trima) rebenta; deixando sair para o exterior a noz. É uma espécie nativa do Sudeste da Europa até à Ásia Ocidental e Central e China, com necessidades de frio invernal, não adequada a regiões com riscos de geadas primaveris, a que é muito sensível.

Muito exigente quanto ao solo, a nogueira prefere os argilo-calcários, neutros ou ligeiramente alcalinos, profundos e com boa capacidade de retenção da água. Sendo proveniente do Sudeste da Europa e da Ásia Ocidental e Central, a nogueira é cultivada na região mediterrânica e na Califórnia, sendo a França o principal país produtor.

Em Portugal a nogueira é quase exclusivamente representada por árvores de semente, de qualidade pouco elevada e de produção difícil de estimar, sendo na sua maioria absorvida pelo autoconsumo.

Há novos pomares de nogueiras instalados em áreas com potencialidades para a cultura nas regiões do Centro litoral, Alentejo e Algarve. A Franguette, Hartley e Serr são algumas das cultivares introduzidas no País desde 1974 e agora em difusão.

As nozes têm em média 63% de gordura e 14% de hidratos de carbono. O óleo de noz tinha antigamente bastante importância como óleo comestível e durante séculos foi usado na preparação de tintas, que os pintores usavam para os seus quadros.

Veja também

Etiquetas: , , ,

One Response to “A nogueira e a noz”

  1. Arlindo Fernandes diz:

    precisava de comprar nogueiras para fazer pomar… podem me informar aonde!!!

    obrigado

Deixe uma resposta