Os citrinos

Os citrinos

Os citrinos constituem um dos grupos maiores e mais importantes das regiões tropicais e subtropicais. Este grupo teve a sua origem na China e no Sudeste da Ásia, embora o limoeiro seja provavelmente nativo da índia, tendo-se obtido recentemente frutos híbridos em várias partes do Mundo. Os Gregos e os Romanos só conheciam o cidrão, Citrus medica L.

As plantas do género Citrus pertencem à família das rutáceas e são, de um modo geral, árvores pequenas ou arbustos, de raminhos com espinhos simples axilares, folhas alternas, unifoliadas, com pecíolos frequentemente alados ou costados, de flores com pétalas acapeladas e tendo como fruto um hesperídio. O atractivo dos frutos citrinos deriva do facto de o seu sumo conter 80%-90% de açúcares e ácidos. Os açúcares predominam na maioria das espécies, tornando-os muito agradáveis para serem comidos em fruta fresca, embora no limão e na lima predominem os ácidos, o que lhes confere um uso diferente na família dos citrinos.

Os citrinos exigem uma temperatura média anual de 14°C e uma média térmica estival de 22°C. Sendo assim, em Portugal as principais regiões de produção de laranjas situam-se no Algarve (65%), que é igualmente a principal região de produção de tangerinas e limões, Ribatejo (14%) e Alentejo (12%). A oferta de laranja estende-se actualmente de Outubro a Setembro, contribuindo para isso a cultivar Valência Late, associada ao processo actual de expansão da cultura no Algarve, pois, para além de ter uma boa aceitação no mercado, tem uma época de colheita fora do período tradicional dos citrinos. Para além desta, são muito cultivadas as cultivares Dalmau, Baía, Jaffa e Setúbal. A área nacional cultivada é de cerca 9359 ha.

Veja também

Etiquetas: , ,

One Response to “Os citrinos”

  1. salomao vieira give diz:

    Citrino é um gênero de plantas da família Rutácea, ordem Sapindales, originárias do sudeste tropical e subtropical da Ásia.

    ORIGEM
    Os citrinos tiveram a sua origem em regiões tropicais e subtropicais da Ásia (Sul da China, Indochina, Índia). Desta forma, o desenvolvimento destas espécies ocorre com temperaturas compreendidas entre os 10-12 C e os 38 C, situando-se as óptimas entre os 23 C e os 34 C.

    CITRINOS EM MOÇAMBIQUE
    Em Moçambique os citrinos são produzidos em quase todas as províncias, isto é, as temperaturas que se fazem sentir aqui no nosso país, favorecem pare que tenhamos sucesso na produção de citrinos, porque cá no nosso país existe terra muito fértil.

    IMPORTANCIA ECONÓMICA EM MOÇAMBIQUE
    Moçambique registrou um elevado crescimento econômico nos últimos 20 anos. Espera-se que a medida que um país cresce economicamente, tanto a proporção da sua população empregue na agricultura, deste modo, é pertinente analisar a importância da agricultura como fonte de emprego.
    O plantio de citrinos tem ajudado muito as famílias Moçambicanas, deste modo reduz o desemprego no nosso país.

    INDÚSTRIA
    As indústrias são as que tem o objetivo de transformar os citrinos em diversos produtos, tais como:
    Sumos, refrigerantes, e,t,c.
    As indústrias também fazem grande influencia no desenvolvimento do nosso país, porque tem aqueles Moçambicanos que trabalham na agricultura, mais também tem mais espaços para empregar mais pessoas na industria, basta que as mesmas estejam capacitadas.

    REVISAO DO PROGRESSO DO SECTOR AGRARIO EM MOÇAMBIQUE.

    Longo período e políticas de colonização, a guerra civil e as estratégias de crescimento económico ditaram a trajectória do desenvolvimento agrário. Historicamente, Moçambique possui dois pólos de desenvolvimento. Os portugueses alojaram-se na sua maioria no sul, tornando esta região a mais urbanizada do país. As regiões centro e norte, que possuem maior potencial agrícola, permaneceram menos urbanizadas. No período colonial, a exportação agrícola era feita maioritariamente dos portos da região norte, deixando poucos incentivos para o desenvolvimento de infra-estruturas ligando o sul ao resto do país. O final da guerra civil que culminou com o acordo geral da paz em 1992 criou novas oportunidades para o crescimento económico e a transformação do sector produtivo rural.

Deixe uma resposta