Fungos, os seres omnipresentes.

Fungos, os seres omnipresentes.

Durante uma deliciosa refeição à base de cogumelos poderão ocorrer muitas perguntas. Os cogumelos que comemos representam apenas os respectivos corpos frutíferos. Os fungos são constituídos basicamente por micélios, um entrelaçado de elementos filiformes unicelulares ou pluricelulares chamados «hifas», os quais formam o talo.

A maioria dos fungos são microscópicos e não são comestíveis. Os fungos que designamos vulgarmente «cogumelos» pertencem aos fungos superiores, sendo incluídos nos eumicófitos. Estamos rodeados continuamente de esporos, os quais não são mais que células reprodutoras dos fungos. Vivemos entre eles, respiramo-los, existindo mesmo sobre a nossa pele e no interior do nosso próprio corpo e, em geral, em todos os seres vivos do Planeta; podem provocar doenças, causar problemas em casa ou, pelo contrário, curar e ajudar nos cozinhados. Estão na água, na terra, no ar, são realmente seres omnipresentes.

Actualmente conhecem-se cerca de 100 000 espécies de fungos, embora exista a convicção de que existem muitas mais. Está por descobrir e por descrever um número considerável de espécies. Existe muito pouca informação sobre a origem dos fungos. Têm seguramente antecessores comuns com os organismos unicelulares, embora se tivessem diferenciado durante a evolução e tomado caminhos próprios e complexos. O registo fóssil é reduzido: os exemplares mais antigos dos fungos são provenientes do Devónico, tendo, portanto, uma antiguidade estimada de 360 milhões de anos.

Veja também

Etiquetas:

Deixe uma resposta