Salgueiro-anão, a árvore mais pequena da Terra

Salgueiro-anão, a árvore mais pequena da Terra

Os salgueiros são, de um modo geral, árvores ou arbustos que costumam crescer junto aos cursos fluviais europeus e nas pradarias ou pastagens. Contudo, nas altas montanhas existem espécies que são anãs, sobressaindo apenas pouco centímetros acima da superfície do solo, e têm muito poucas semelhanças com os salgueiros vulgares. São plantas primitivas do período glacial e provavelmente durante essa época propagaram-se pelas montanhas elevadas da Europa.

O salgueiro-anão herbáceo (Salix herbacea L.) mede apenas 2 cm a 3 cm de altura e tem 2-5 folhas. Ascende fracamente da superfície do solo com os seus delgados ramos e só quando observado a curta distância se pode reconhecer que não é realmente herbáceo, mas apresenta rebentos lenhosos. Cresce principalmente nos pequenos vales alpinos, onde forma tapetes regulares. Lineu chamou-lhe a «árvore mais pequena da Terra».

O salgueiro-anão reticulado (Salix reticulata L.) é uma árvore-anã robusta, que raras vezes supera 5 cm de altura. Só à sombra dos rododendros (Rhododendron spp.) cresce um pouco mais. Por último, a Salix serpyllifolia Scop. é de todas a espécie mais notável, pelas matas compactas que forma, completamente aplicadas sobre o solo.

É realmente difícil de crer que se trata de um salgueiro. As suas folhas são minúsculas e imbricadas, lembrando as do serpão (Thymus serpyllum L.). Frequentemente o salgueiro-anão forma grandes almofadas nas moreias calcárias. Todas estas espécies de salgueiros são plantas de alta montanha, aparecendo raras vezes abaixo dos 1500 m.

Veja também

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta